Confissão – Um Quintana especial

“Que esta minha paz e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece…
Mas,
Em mim, na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!”

É do Mário Quintana, de 1990. Levei um susto… sou eu ali. Grandes e pequenos terremotos, a maioria silenciosos. Alguns bons.

2 thoughts on “Confissão – Um Quintana especial

  1. riquati Post author

    Oi Rita!! Este Quintana é diferente mesmo… eu lí em uns dois lugares, e ele ficou em minha cabeça por dias… postei no meu Orkut, e quando resolvi dar uma “enxugada” no meu perfil, movi para cá. É exatamente como me entendo… paz por fora, revoluções por dentro. 🙂
    Um abração, e (novamente) parabéns pelo seu blog… todo dia passo por lá.
    Ricardo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*